Mercado Imobiliário: a vez do segmento econômico


[Por Maurílio Scacchetti - Diretor da Habitcasa]

O programa do governo “Minha Casa, Minha Vida” fez a diferença no setor imobiliário. Devido às facilidades oferecidas através de créditos para financiamento, redução de juros e aumento nos prazos, quem ganhou vez no mercado imobiliário foi a classe de baixa renda. Hoje, podemos dizer que o segmento de imóveis econômicos virou protagonista do mercado imobiliário no país.

A criação da Habitcasa, em Novembro de 2007, foi uma importante marca para o Grupo Lopes nesse segmento. Em apenas um ano de atuação, a nova empresa conquistou a liderança desse mercado de imóveis para baixa renda. E em 2009, de acordo com dados da Embraesp, a Habitcasa obteve o 2º lugar no ranking geral de vendas (Top Imobiliário), comprovando a eficiência da estruturação diferenciada da empresa. Atualmente, a Habitcasa atua em 22 municípios no Estado de São Paulo e no Brasil em mais quatro praças: BA, ES, RJ e RS.

Dados históricos do segmento econômico indicam a expansão do mercado de baixa renda. Em 2009, imóveis residenciais até R$ 250 mil representaram 60% dos lançamentos ante 50% em 2008, 40% do VGV lançado ante 30% em 2008 e 70% das unidades lançadas, mesmo percentual em 2008.



De acordo com a pesquisa da área de Inteligência de Mercado da Lopes, realizada em maio de 2010, nos últimos dois anos foram lançados na Região Metropolitana de São Paulo 305 empreendimentos, VGV de R$ 9,2 bi e 67.389 apartamentos. Quanto aos empreendimentos, 148 (49%) estão totalmente vendidos e 157 (51%) em comercialização. O número de apartamentos em estoque é baixo (13%) e os empreendimentos são bem distribuídos, denotando excelente liquidez.

O aumento da renda dos brasileiros é um dos motivos para as vendas neste segmento estarem muito boas. De acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), cerca de 20 milhões de brasileiros saíram da base da pirâmide social nos últimos anos. Em geral, os compradores de imóveis desse segmento são solteiros, não possuem filhos e a idade média é 30 anos, denotando a presença de jovens casais.

No novo imóvel residirão de uma a três pessoas e os principais planos para o futuro são casar e estudar. Para procurar um novo apartamento, os compradores se locomovem em média quatro quilômetros (distância média entre o imóvel que residia no momento da compra e o imóvel que comprou).

Saiba mais...

CONTADOR DE VISITAS

mod_vvisit_counterVisitantes de ontem:4748
mod_vvisit_counterSemana passada:42659
mod_vvisit_counterMês passado:173428

BUSQUE SEU IMÓVEL

Vista para o mar
Próx. UFSC / UDESC

BUSQUE CÓD. OU TEXTO

-->